18 de jul de 2009

Voe

Que mistérios jamais revelados leva contigo,
quantas feridas ainda sangravam, enquanto
silenciava cóleras de dor?

Em que pensava? O que sentia?

Talvez na solidão da culpa inocente,
conversava com monstros de suas lembranças.

Quem sabe aterrorizado de medo em seu quarto escuro,
onde o travesseiro escondia seu choro de criança.

Em seu mundo de fantasias, correu pela terra
do nunca, brincou com a música do carrossel
e dançou os passos da liberdade,
palco da vida em que sua alma foi livre.

Alma essa, um dia cativa por quem não
via além dos seus olhos, não sentia
os desejos do seu coração.

E no cansaço dos ombros que não suportaram
o peso da imcompreensão, a desistência.

Morrer pra renascer no mundo perfeito,
que criou para si e que era só seu,
é o maior ato de coragem que prova
sua ousadia única.

Tuas dores, são as dores de muitos,
não curastes as tuas, mas foi o bálsamo de
outros corpos sem nome na partida.

Os céus te chamam, o show apenas começou,
pode ir agora! Você é Peter Pan, lembra??!!!
Chame Sininho e saberás o caminho...

Tens nome de Arcanjo, agarre suas asas
e volte pra casa, seu verdadeiro Pai te espera, seus
filhos de esperam, seus irmãos te esperam!!

Corra! Voe!

Estão todos te esperando e serás aplaudido
na verdade que poucos conhecem.

Ande! Vá!!

Tens o selo da graça, na alma de
muitas outras que são suas também.

Não chore mais, és amado como
nunca sonhou ser.

Em outros mundos, quem sabe na
Terra do Nunca, em algum momento
saberás que você foi quem deveria ser
e que não está mais sozinho.

À Michael Jackson (*29/08/1958 + 25/06/2009)V